(21) 2502-5252

Rio de Janeiro: (21) 2502-5252  |

 Whatsapp: (21) 96458-0537

Uniprag em outros estados: 0800 704 1528

Redes Sociais:
  

Rio de Janeiro:

 Whatsapp:

Central de Atendimento:

CONHEÇA O MAYARO, A NOVA AMEAÇA DO AEDES!

Pesquisas e dados apontam que mosquitos que habitam áreas urbanas podem ser vetores do Mayaro, principalmente o Aedes albopictus e o Aedes aegypti. Um caso registrado no Haiti abriu as portas para essa investigação e há indícios que a doença está se espalhando pelo Caribe.

A suspeita é que o vírus tenha se adaptado, assim como o do chikungunya, que também só era transmitido por mosquitos da selva e hoje é uma doença urbana.

Mayaro – o novo vírus transmitido pelo Aedes

Os sintomas da Febre do Mayaro (como a doença é chamada) são parecidos com os da dengue e chikungunya. Depois da febre e cansaço iniciais, a doença evolui e podem surgir manchas espalhadas pelo corpo, sempre vermelhas. Logo surge a dor de cabeça intensa e as dores nas articulações, como na chikungunya.

Aedes albopictus

Aedes albopictus

Em alguns casos, os pacientes ficam mais sensíveis a luz, com as vistas doendo. Por conta desses sintomas alinhados com a dengue e chikungunya, o diagnóstico do Mayaro fica mais difícil.

O problema é que no caso da Febre do Mayaro, as dores e o inchaço nas articulações podem ser mais severos, durando mais tempo que os causados pela chikungunya (entre 6 meses e 1 ano). A pessoa fica ainda mais limitada para seguir uma rotina normal.

No caso, é essencial realizar exames laboratoriais para determinar com mais precisão qual é a doença, se é dengue, chikungunya ou a Febre do Mayaro.

Ainda não existe um tratamento específico, muito menos uma vacina, apenas paliativos para diminuir o incômodo dos sintomas causados pela Febre.

Primavera e Verão – aumento dos mosquitos

Estamos na primavera, caminhando para o verão, estações ideais para a proliferação do Aedes. Seguir as recomendações do Ministério da Saúde é de suma importância. Em caso de áreas mais extensas, o ideal é realizar o controle de mosquitos.

O ciclo reprodutivo do mosquito é menor nessas épocas do ano, além das condições climáticas favorecerem a eclosão de seus ovos. Mais chuvas significam mais criadouros para o Aedes.

No Brasil, casos de Mayaro já forma detectados em 2014 e 2015. Foram quase 200 casos nas regiões do Centro-Oeste e Norte – as pessoas que contraíram o vírus estiveram em áreas rurais e mata. Lembramos que o vírus já existe há décadas, mas sempre limitado a áreas de mata, nunca em centros urbanos. Esse é o perigo que corremos agora!

A novidade é que além da dengue, zika e chikungunya, podemos ter surtos da Febre de Mayaro. Faça sua parte! A Imuni Service UNIPRAG está pronta para ajudar no combate ao Aedes. Por isso lançou o SUMVEC, uma plataforma completa que monitora, combate e controla o mosquito com muito mais eficácia.

ALÉM DO RIO DE JANEIRO, VOCÊ ENCONTRA NOSSA QUALIDADE EM TODOS ESSES ESTADOS.

Ou envie-nos uma mensagem pelo formulário abaixo: